Opiniões Fundos Como Funciona? Taxas Cobradas Tipos de Fundos Imposto de Renda Poupança Glossário
Tipos de fundos de investimento

• Fundos abertos, fechados ou exclusivos   
• Classificação quanto à autarquia   
• A Classificação da ANBID   

Fundos Abertos, Fechados ou Exclusivos.

Os Fundos de Investimento podem ser abertos, fechados ou exclusivos. Os abertos admitem a participação de quaisquer aplicadores, enquanto que os fundos exclusivos são restritos a apenas a um conjunto pré-determinados de participantes que são definidos pela instituição administradora do fundo. Já os fundos fechados não admitem a entrada de novos cotistas.
..............................................................................................................................[ índice ]

Classificação quanto a Autarquia Fiscalizadora e Reguladora

No Brasil os Fundos de Investimento são regulados pelas seguintes entidades reguladoras e fiscalizadoras:
Banco Central do Brasil;
Comissão de Valores Mobiliários.

Os Fundos de Investimento regulados/fiscalizados pelo Banco Central do Brasil são os:
Fundo de Investimento Financeiro "FIF";
Fundo de Aplicação em Cotas de Fundo de Investimento "FAC".

A Comissão de Valores Mobiliários "CVM" regula e fiscaliza os:
Fundos de Investimento em Títulos e Valores Mobiliários;
Fundos de Investimento em Cotas de Fundo de Investimento em Títulos e Valores Mobiliários;
Fundos de Investimento Imobiliário;
Fundos Mútuos de Privatização.

A classificação do Banco Central do Brasil

O Banco Central do Brasil classifica os fundos de investimento sob sua fiscalização da seguinte forma:

Fundo de Investimento Financeiro "FIF";
Fundo de Aplicação em Cotas de Fundo de Investimento "FAC".

Os fundos de investimento financeiro "FIF" são aqueles fundos que possuem em sua carteira de investimento ativos financeiros do tipo renda fixa em proporção superior a 51% do seu patrimônio .

Os fundos de investimento em cotas de fundo de investimento "FAC" são aqueles fundos que possuem em sua carteira de investimento cotas de outros fundos de investimento financeiro em proporção superior a 95% do seu patrimônio.

Fundos Referenciados em Indicador de Desempenho

Os Fundos Referenciados em Indicador de Desempenho podem em sua denominação colocar o nome do indicador de desempenho e devem possuir a sua carteira de investimentos composta por:

Títulos de emissão do Tesouro Nacional e/ou do Banco Central do Brasil;
Títulos e valores mobiliários de renda fixa cujo emissor seja classificado na categoria baixo risco de crédito ou equivalente, com certificação por uma empresa classificadora de risco localizada no país;
Estipulem que 95%(noventa e cinco por cento), no mínimo, da carteira seja composta por ativos financeiros e/ou modalidades operacionais de forma a acompanhar o indicador de desempenho escolhido;
Restrinjam a respectiva atuação nos mercados de derivativos à realização de operações com objetivo de proteger posições detidas à vista, até o limite dessas.
..............................................................................................................................[ índice ]

A Classificação da Anbid

A Anbid (Associação Nacional dos Bancos de Investimento) é uma entidade associativa que congrega as principais empresas administradoras de recursos financeiros (asset management) e ela classificam os fundos de investimento da seguinte forma:


Fundos Referenciados:

Referenciados DI:

Objetiva seguir o mais próximo possível as variações do CDI/SELIC. Estes fundos enquadram-se como "referenciados", conforme definido no artigo 2 da circular nº 2.958.

Referenciados Câmbio:

Objetiva seguir o mais próximo possível as variações da moeda norte-americana, estando também sujeitos às oscilações das taxas de juros domésticas (Brasil) sobre aquela moeda. Estes fundos enquadram-se como "referenciados", conforme definido no artigo 2 da circular nº 2.958.

Referenciados Outros:

Busca acompanhar qualquer parâmetro de performance que não os dos mercados de câmbio (variação do dólar) ou de juros de curto prazo (CDI). Para isso, irá investir em qualquer classe de ativos com o objetivo de acompanhar as variações do parâmetro de performance escolhido.

OBS: Para efeito desta classificação ANBID, esta classe de fundos deve incluir os produtos que têm como objetivo explícito reproduzir as variações de algum parâmetro de performance também explicitado (por exemplo, IGPM + 12, etc.). Reparem que o objetivo não é superar o parâmetro e sim reproduzi-lo o mais fielmente possível.

Fundos de Renda Fixa:

Renda Fixa:

Busca retorno através de investimentos em ativos de renda fixa1, excluindo-se estratégias que impliquem em risco de índices de preço, de moeda estrangeira ou de renda variável (ações, etc.). Estes fundos enquadram-se como "não referenciados", conforme definido no artigo 4 da circular 2958. Apesar de todos os fundos classificados nesta categoria enquadrarem-se como "não referenciados", nem todos os "não referenciados" podem ser enquadrados na categoria de "renda fixa", sendo esta mais restritiva no que se refere à política de investimento do fundo.

Ex.: Entre outros, nesta categoria são vedados quaisquer investimentos que impliquem em risco de renda variável (ações), de índice de preço (IGPM, etc.) e de dólar. Incluem-se nesta categoria, por exemplo, os tradicionais fundos de renda fixa com risco de taxa de juros (prefixados), com ativos de baixo risco de crédito e sem alavancagem2.

Renda Fixa Crédito:

Busca retorno no mercado de juros doméstico, investindo em títulos de renda fixa3 de qualquer espectro de risco de crédito, excluindo-se estratégias que impliquem em risco de índices de preço, de moeda estrangeira ou de renda variável (ações, etc.), não sendo admitida alavancagem4 da carteira. Estes fundos não se enquadram nos artigos 2 e 4 da circular 2958.

Ex.: Diferencia-se do anterior apenas pela possibilidade de investimentos com risco de crédito "não baixo" acima do limite previsto na legislação dos "não referenciados".

Renda Fixa Multi-índices:

Busca retorno através de investimentos em ativos de renda fixa5 de qualquer espectro de risco de crédito, incluindo-se estratégias que impliquem em risco de índices de preço, excluindo-se porém investimentos que impliquem em risco de oscilações de moeda estrangeira e de renda variável (ações, etc.). Estes fundos não se enquadram nos artigos 2 e 4 da circular nº 2958.

Ex.: Nesta categoria são vedados quaisquer investimentos que impliquem em risco de renda variável (ações) e de dólar. Entre outros, incluem-se nesta categoria os fundos de renda fixa com risco de indexadores (fundos IGPM, etc.), sem alavancagem.

Renda Fixa Alavancados:

Busca retorno através de investimentos em ativos de renda fixa6 de qualquer espectro de risco de crédito, incluindo-se estratégias que impliquem em risco de índices de preço, excluindo-se porém investimentos que impliquem em risco de oscilações de moeda estrangeira e de renda variável (ações, etc.). Estes fundos podem inclusive realizar operações que impliquem em alavancagem7 do patrimônio.

OBS.: Diferencia-se do anterior apenas pela possibilidade de fazer alavancagem.

Fundos Balanceados:

Classificam-se neste segmento os fundos regulamentados pelo BACEN ou pela CVM que busquem retorno no longo prazo através de investimento em diversas classes de ativos (renda fixa, ações, câmbio, por exemplo). Estes fundos procuram agregar valor utilizando uma estratégia de investimento diversificado e através de deslocamentos táticos entre as classes de ativos ou estratégia explícita de rebalanceamento de curto prazo, não se utilizando de alavancagem. Estes fundos devem ter explicitado o mix de ativos com o qual devem ser comparados (asset allocation benchmark) ou intervalos de alocação predefinidos entre as diversas classes de ativos. Sendo assim, esses fundos não podem ser comparados a indicador de desempenho que reflita apenas uma classe de ativos (por exemplo: 100% CDI).
.
Fundos Multimercados:

Sem alavancagem, sem renda variável:

Classificam-se neste segmento os fundos regulamentados pelo BACEN que busquem retorno no longo prazo através de investimento em diversas classes de ativos exceto renda variável (ações, etc.). Estes fundos procuram agregar valor utilizando uma estratégia de investimento diversificado, não se utilizando de alavancagem.

Sem alavancagem, com renda variável:

Classificam-se neste segmento os fundos regulamentados pelo BACEN ou pela CVM que busquem retorno no longo prazo através de investimento em diversas classes de ativos (renda fixa, câmbio, por exemplo) incluindo renda variável (ações, etc.). Estes fundos procuram agregar valor utilizando uma estratégia de investimento diversificado e não se utilizam de alavancagem. Estes fundos não têm explicitado o mix de ativos com o qual devem ser comparados (asset allocation benchmark) e podem, inclusive, serem comparados a parâmetro de desempenho que reflita apenas uma classe de ativos (por exemplo: 100% CDI).

Com alavancagem, sem renda variável:

Classificam-se neste segmento os fundos regulamentados pelo BACEN que busquem retorno no longo prazo através de investimento em diversas classes de ativos exceto renda variável (ações, etc.). Estes fundos procuram agregar valor utilizando uma estratégia de investimento diversificado, podendo inclusive se utilizar de alavancagem.

Com alavancagem, com renda variável:

Classificam-se neste segmento os fundos regulamentados pelo BACEN ou pela CVM que busquem retorno no longo prazo através de investimento em diversas classes de ativos (renda fixa, câmbio, por exemplo) incluindo renda variável (ações, etc.). Estes fundos procuram agregar valor utilizando uma estratégia de investimento diversificado, podendo também se utilizar de estratégias que impliquem em alavancagem dos recursos.
.
Fundos Capital Protegido:

Busca retornos em mercados de risco procurando proteger parcial ou totalmente o capital.

Fundos de Investimento no Exterior (FIEX):

São fundos que têm como objetivo investir preponderantemente em títulos representativos da dívida externa de responsabilidade da União.

Fundos de Ações:

Fundos de Ações Indexados:
IBOVESPA:
São fundos regulamentados pelo BACEN ou pela CVM, cujo objetivo de investimento é replicar o comportamento do IBOVESPA.

IBX:
São fundos regulamentados pelo BACEN ou pela CVM, cujo objetivo de investimento é replicar o comportamento do IBX.
Fundos de Ações Ativos:
IBOVESPA:
São fundos regulamentados pelo BACEN ou pela CVM, que possuem estratégia explícita de superar o IBOVESPA.

IBOVESPA com alavancagem:
São fundos regulamentados pelo BACEN ou pela CVM, que possuem estratégia explícita de superar o IBOVESPA. Esses fundos podem realizar operações que impliquem em alavancagem do patrimônio.

IBX:
São fundos regulamentados pelo BACEN ou pela CVM, que possuem estratégia explícita de superar o IBX.

IBX com alavancagem:
São fundos regulamentados pelo BACEN ou pela CVM, que possuem estratégia explícita de superar o IBX. Esses fundos podem realizar operações que impliquem em alavancagem do patrimônio.

IBA:
São fundos regulamentados pelo BACEN ou pela CVM, que possuem estratégia explícita de superar o IBA, não admite alavancagem.

Fundos de Ações Setoriais:

Telecomunicações:
São fundos regulamentados pelo BACEN ou pela CVM, cuja estratégia é investir em ações do setor de telecomunicações.

Energia:
São fundos regulamentados pelo BACEN ou pela CVM, cuja estratégia é investir em ações do setor de energia.
Fundos de Ações Outros:
Sem alavancagem:
Classificam-se neste segmento os fundos de ações abertos que não se enquadrem em nenhum dos segmentos anteriores.

Com alavancagem:
Classificam-se neste segmento os fundos de ações abertos que não se enquadrem em nenhum dos segmentos anteriores. Esses fundos podem realizar operações que impliquem em alavancagem do patrimônio.

Fundos de Ações Fechados

São fundos de ações que no momento não estão abertos para captação de novos recursos.

Fundos de Investimento Imobiliário

São fundos de investimento que tem como objetivo a aplicação de recursos financeiros em imóveis.

Fundos Mútuos de Privatização

São fundos de ações com objetivo de investir em ações de empresas que pertencem ao governo federal passives de privatização.
..............................................................................................................................[ índice ]

A classificação da Gazeta Mercantil

A Gazeta Mercantil por possuir um amplo banco de dados a respeito dos fundos de investimento dividiu-os da seguinte maneira:

FITVM Fundos de Investimento em Títulos e Valores Mobiliários

Podem ser abertos ou fechados.Reúnem recursos destinados a aplicação em carteira diversificada de títulos e valores mobiliários, e devem manter seu patrimônio aplicado majoritariamente em ações de companhias abertas, opções de ações sobre índices de ações.

Fundos Referenciados

Sua principal característica é que a rentabilidade deve acompanhar um determinado referencial ("benchmark"), como os cambiais e DI.Para isso, o administrador terá de compor sua carteira com, pelo menos, 95% de ativos financeiros (papeis, títulos, etc.) ou com operações que possam resultar em rendimento próximo da variação do indicador escolhido.Pelo menos 80% do patrimônio deve estar aplicado em títulos públicos emitidos pelo Tesouro Nacional ou Banco Central ou em papeis privados que tenham sido classificados como de baixo risco por agências de classificação de risco.[]

Fundos Não Referenciados

Sua carteira poderá ser composta de 80% de títulos públicos emitidos pelo Tesouro Nacional ou Banco Central ou de papeis privados que tenham sido classificados como de baixo risco por agências de raptem.Os 20% restantes poderão ser livremente aplicados.Estes fundos poderão fazer operações mais sofisticadas nos mercados futuros, desde que com a finalidade de proteger a carteira.Eles só poderão realizar suas operações no limite do seu patrimônio.

Fundos Genéricos

Os fundos que não tiverem que seguir as determinações válidas para os Referenciados e Não Referenciados terão total liberdade para compor as suas carteiras e serão classificados como Genéricos.Podem fazer alavancagem de patrimônio, o que aumenta o risco da aplicação.

Fundos Genéricos Agressivos

Carregam um percentual de risco mais elevado do que os Genéricos.

Fundo Capital Garantido

Buscam acompanhar a valorização do mercado de ações.Em caso de queda da bolsa, garantem no mínimo o retorno do capital aplicado pelo investidor.

Fundos Exclusivos

Modalidade de renda fixa com um número restrito de investidores.

Fundos Exclusivos-Outros

Modalidade de renda variável com um número restrito de investidores

FIF Exclusivos para FAC

Fundos de Investimento Financeiro que recebem recursos somente de Fundos de Aplicação em Cotas .

FAPI (Fundo de Aposentadoria Programada Individual)

Fundo de investimento cujo objetivo é constituir para o aplicador um plano de complementação da aposentadoria da Previdência Social.É considerado um produto de previdência complementar.Tem beneficio fiscal de 12% da renda bruta anual, na forma de desconto na declaração de ajuste anual do Imposto de Renda .

PGBL Plano Gerador de Benefícios Livres

Plano de previdência complementar cujo objetivo é forma poupança com fins de aposentadoria.Permite o abatimento das aplicações no limite de 12% da renda bruta anual na declaração de ajustem do Imposto de renda. Existem em três versões :

Soberano: aplicar os recursos apenas em títulos públicos federais

Renda Fixa: aplica em títulos públicos federais e outros títulos com características de renda fixa

Composto : aplica os recursos em títulos públicos federais , outros títulos com característica de renda fixa e até 49% em renda variável.

Renda Fixa Capital Estrangeiro

Constituído por ativos de renda fixa emitidos por empresas e instituições sediadas no pais.A aquisição das cotas deste fundo é permitida somente a pessoas jurídicas domiciliadas ou com sede no exterior.

Fundos de Investimento no Exterior (FIEX)

Fundos de investimento domésticos que aplicam no mínimo 80% do seu patrimônio em títulos da divida externa brasileira

Fundos Off Shore

Formados por carteiras que aplicam recursos disponíveis no exterior em ativos brasileiros e que tem sede formalmente localizada no exterior.
..............................................................................................................................[ índice ]

A Classificação de Fundos.com

O site Fundos.com classifica os fundos de investimento em 5 categorias :

Fundos de Renda Fixa

Nesta categoria estão classificados todos os fundos de investimento que possuem como padrão para a composição da sua carteira de investimentos títulos públicos e privados em percentual superior a 51% . O percentual restante poderá ser aplicado em qualquer tipo de aplicação financeira desde que não alavanque o patrimônio do fundo .

Fundos de Derivativos

Nesta categoria estão classificados todos os fundos de investimento que possuem como padrão para rentabilizar o seu patrimônio o uso de instrumentos financeiros conhecidos como derivativos .

Fundos DI

Nesta categoria estão classificados todos os fundos de investimento que possuem como padrão de rentabilidade o acompanhamento da variação da taxa acumulada do certificado de deposito interbancário de prazo de um dia ( CDI ) .

Fundos Cambiais

Nesta categoria estão classificados todos os fundos de investimento que possuem a sua carteira de investimento composta majoritariamente por títulos públicos ou privados que tenham como componente de rentabilidade a correção cambial ( dolar comercial ) ou instrumentos financeiros ( derivativos ) até o limite
de uma vez o patrimônio que simulem a correção cambial ( dólar comercial ) .

Fundos de Ações


Nesta categoria estão classificados todos os fundos de investimentos que possuem a sua carteira composta por pelo menos 51% em ações de companhias abertas .

Fundos de Previdência

Nesta categoria estão situados todos os fundos de Investimento que tenham como objetivo
o oferecimento de um plano de previdência atrelado a beneficios fiscais .


..............................................................................................................................[ índice ]